Acervo Digital

Acervo Digital

Com o objetivo de democratizar o conhecimento sobre a história e a cultura de matriz africana e garantir a preservação do acervo documental e museológico de Abdias Nascimento, o Ipeafro vem realizando um extenso trabalho de tratamento e conservação. Para tanto, o Ipeafro vem digitalizando os itens do acervo com o objetivo de colocá-los à disposição do público por meio da rede mundial de computadores. Consideramos que o conteúdo do acervo seja de utilidade para educadores, estudiosos e pesquisadores, bem como para pessoas interessadas na cultura e história dos povos afrodescendentes no Brasil e no mundo. Democratizar o acesso a esse conteúdo significa facilitar ao povo brasileiro e aos afrodescendentes a possibilidade de conhecer a apreciar o patrimônio cultural e histórico que lhes pertence.

A primeira fase do trabalho envolveu a reprodução digital, feita pelo fotógrafo Américo Vermelho da Luz e Sombra, de cartazes anunciando exposições artísticas de Abdias Nascimento e eventos do movimento negro em várias épocas, bem como parte da coleção de obras artísticas. Realizamos, ainda, o tratamento técnico e a microfilmagem de parte dos documentos históricos referentes ao Teatro Experimental do Negro e digitalizamos as imagens microfilmadas desses documentos. Nessa fase, criamos os sites abdias.com.br e ipeafro.org.br (primeira versão), com design de Eduardo Riera.

Realizamos essa primeira etapa do trabalho em parceria com a Biblioteca Nacional, o Arquivo Nacional e a Divisão de Bibliotecas e Documentação da PUC-Rio, com financiamento da Fundação Ford e do CRL - Centro para Bibliotecas de Pesquisa (EUA) mediante apoio e intermediação da representação da Biblioteca do Congresso no Consulado dos Estados Unidos no Rio de Janeiro.

A Petrobras patrocinou o projeto Acervo Abdias Nascimento - Acessando a História e a Cultura Afro-Brasileiras, mediante edital do Programa Petrobras Cultural 2007. O CLR e a Fundação Kellogg também apoiaram o projeto em 2009 e 2010. Essa segunda etapa incluiu o tratamento técnico de parte do acervo documental, iconográfico e museológico. A higienização de cromos, negativos e fotografias ficou sob a responsabilidade da museóloga Roberta Lopes Leite, especialista em conservação fotográfica. A equipe do Ipeafro realizou o tratamento técnico de itens pertencentes a parte do acervo documental, bem como a digitalização de fotografias do TEN em suporte de papel.

O restauro e a conservação de algumas obras artísticas ficaram a cargo do artista plástico e restaurador Cláudio Eduardo, da museóloga Catarina Faria e do Ateliê Marylca.

Durante essa etapa, também realizamos a digitalização em alta resolução dos itens do acervo museológico. Em valiosa parceria com a RCS Arte Digital, empresa especializada com sede em São Paulo dirigida por ele, o fotógrafo Miguel Pacheco e Chaves fez a reprodução digital das obras artísticas e outros componentes do acervo museológico.

Ainda nesse período, o Ipeafro reformulou a sua página numa nova versão para web, dentro do conceito mais atual de plataforma interativa. A página www.ipeafro.org.br adotou uma nova ferramenta desenvolvida por Hélio Ricardo, da Brainstorm Consultoria. Thiago Neves e Vinícius Amaral da Four Active iniciaram a construção da nova ferramenta do site, cujo projeto gráfico é de Luiz Carlos Gá.

O material que está disponível aqui em nosso site representa apenas uma parte do Acervo Abdias Nascimento / Ipeafro, que contém grande quantidade de documentos textuais e iconográficos aguardando tratamento técnico, microfilmagem e digitalização. Grande parte do acervo museológico também aguarda tratamento técnico e restauro.

 

PATROCÍNIOS E APOIOS

 

                

 
 
 
 
 
 
 
 

 

 

    

 

 

 

      

                    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Ipeafro trabalha com a matriz africana e relações étnico-raciais no ensino brasileiro

Para fins comerciais ou para reprodução e distribuição em qualquer meio de comunicação, É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste website sem prévia autorização do Ipeafro.